sábado, 21 de fevereiro de 2015

Prometo ser-me fiel!

Chega um ponto na vida da gente, que só se tem uma saída: ser fiel a si mesma. To beirando, a galope, meu novo aniversário. Minha persistente adolescência já não combina tanto com as frustrações que carrego, nem com as expectativas que crio. Tá na hora de crescer, de ser fiel a mim, de exigir meu respeito próprio e dos outros, de parar de criar falsas expectativas e de, principalmente, me amar.
Essa procura desenfreada pelo amor, tem me proporcionado desilusões que não me cabem mais. A ausência de mim mesma é tão perigosa que me faz enxergar arco-íris onde não existem. Faz-me implorar carinhos que devem ser ofertados espontaneamente, quando verdadeiramente se ama. 
To num processo doloroso para aprender a me amar. Falei tanto aqui sobre encontrar um amor, que me esqueci que a pessoa que tenho que amar, em primeiro lugar, sou eu!
Tenho tido conversas intermináveis com o espelho e, confesso, não tenho gostado das respostas que recebo. São duras, porém verdadeiras. Tenho insights dolorosos, não só de como me enxergo, mas também da forma como os outros me enxergam. Pessoas que não me conhecem, apesar de uma vida inteira convivendo. E olha, nem precisa se esforçar muito.. sou completamente transparente. Só é necessário sentir.
Embora para alguns não pareça, sou uma pessoa inocente de sentimentos, fácil de se apaixonar e de acreditar no amor. Fácil de ser enganada, iludida e que acredita em contos de fada. Presa fácil. Isso, o espelho não me ensina. É como diz Osvaldo Montenegro: “A gente não aprende no espelho. A gente vive e sofre pra aprender.”
Tão doloroso quanto o processo de se amar, é o processo de se assumir como se realmente é. Mostrar o que de pior e de melhor se tem, verdadeiramente. E, é aí que entra a coragem de se enfrentar. Há de se ter muita coragem para se conhecer, enfrentar teus piores defeitos e limitações para que possa assumi-los perante o mundo. É como um novo parto, sem anestesia, sem mãe para te afagar, sem mão para te segurar.
Conhecer a si mesma é fundamental para se amar incondicionalmente, é o primeiro passo para que alguém também venha a te amar de verdade. Ninguém ama uma fotografia no facebook, isso é ilusão e projeção de nós mesmas. Amar é outra coisa, é outro patamar de necessidade e de enfrentamento dos nossos próprios sentimentos. Ninguém ama fugindo, ninguém ama na base do orgulho ou de joguinhos.
Não sou santa nem demônio, disse-me o espelho. Tenho defeitos horrorosos, dos quais não me orgulho. Em compensação, tenho qualidades imprescindíveis àquela pessoa que quer, acima de tudo, ser ela mesma, se aceitar como tal e que os outros..
Ah.. e os outros, vão me amar assim como o meu espelho também tá aprendendo!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Não Engaveto Amor!

gavetas-amores

O Gavetas é um blog essencialmente dedicado ao amor, aos amores que tive e ao amor que procuro. Dos que tive, dediquei inúmeros textos.. daquele que procuro, deixei embutido nas palavras oferecidas aos amores errados. 

Há quem ache que meus textos são fortes demais, é que sou extremamente intensa. Escrevo o que sinto e o que penso, sem floreios. Desabafo minhas entranhas.

Tudo aqui teve coração, sentimento, emoção, vivência e algumas ilusões. Alguns, eu disfarcei.. outros eu escancarei. Mas sou assim, o que fazer.

Sou intensa e verdadeira naquilo que sinto, até demais pro meu gosto. Algumas pessoas nem acreditam, outras duvidam e outras as usam contra mim.

Não tenho vergonha e nem pudores com relação ao que escrevo, pelo contrário, tenho orgulho  e gratidão pelos amores que senti. Tem gente que nem isso..

Cada palavra aqui escrita veio do coração, que é bobo e vagabundo (é só ler outras postagem, pra perceber). Não sei jogar, não sei amar pela metade, não sei fingir, não sei fazer silêncio, só sei amar e descrever o amor. Amo à moda antiga e quando amo sou romântica e imbecilmente verdadeira. Coisa rara, atualmente.

Todos procuram um amor, nem todos o encontram. E quando encontram, não acreditam. Sou do tipo que além de acreditar, enaltece-o, cria e inventa poesias para honrar e festejar a graça recebida. Coisas de piscianos, enfim..

“Só uma coisa me entristece”.. o não acreditar, o duvidar que existem pessoas assim como eu, e o pior de tudo.. o desperdício do amor!

Amor foi feito pra amar, pra viver, pra sentir e pra escrever sobre ele. Não pra desperdiçar, esse sim é o pior dos pecados.

E eu?

– Eu peco por excesso!

Leia Mais ►

domingo, 7 de setembro de 2014

Dor de Amor

Licao-de-Vida-voce-faria-tudo-pelo-amor-O-que-e-tudo-para-voce

Essa ausência me machuca

me desassossega, me bagunça.

Devolve meu coração

meu pensamento, minha lua.

Essa dor tomou posse de mim

esse abandono, me crucifica em vida.

Não respiro direito, me afogo em lágrimas.

Te procuro e só te encontro dentro de mim.

Vai explodir e dos pedaços

não saberei o que vou sobrar.

Sinto dor crônica, o tempo todo

sinto falta da falta que tu me faz.

O silêncio me corrói

a sintonia te procura.

É como cortar um cordão umbilical

que liga todas as vidas que não vivemos.

Vidas que abandonamos, vidas roubadas

vidas usurpadas, vidas acovardadas.

Mais uma vez, o final feliz foi adiado

foi estuprado, roubado e massacrado.

Mais uma vez, o medo vence o amor

mais uma vez, adiamos o beijo

o abraço, a explosão do amor.

Fica a dor e a renúncia

fica mais um sonho pra sonhar

a lembrança desfocada

o desperdício do amor

e essa dor que não me larga. 

Que é tão forte, que atravessou a minha alma

me basta saber que és feliz, pra alivio e calma.

Leia Mais ►

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Sobre Laços Eternos!

Lídia e Gio

Sempre soubemos que era eterno, te conheci criança e hoje te vejo uma loba. Me inspira tua garra e vontade de viver, acima de tudo a vontade de ajudar aos outros com tua fé.

Toda mulher aos 40, se transforma. Eu vi essa transformação ao longo de 23 anos de convivência. Não foram poucas as barreiras, momentos difíceis e felizes que passamos. Mas, no fundo, sempre soubemos que nunca estaríamos longe uma da outra. Que Deus tinha um plano para nós, era o que dizíamos.

Hoje, vejo com clareza o que Ele nos preparou. Uma amizade eterna baseada no convívio, no carinho e no amor que sempre tivemos uma pela outra. Nossas vidas não seriam as mesmas sem a essa presença, sem o respeito que sempre tivemos, pelo imenso carinho que temos, pelas brigas e conselhos na busca pela nossa verdade  e pela amizade que cultivamos.

Poucos são abençoados como nós fomos, poucos entrelaçam a vida a fora como tivemos a chance, poucos se reconhecem e se alimentam da amizade e do amor como nós.

Nos reconhecemos desde sempre e para sempre. Não nos vemos longe uma da outra, é preciso um telefonema, uma conversa, uma briga, um abraço apertado e um muito obrigado. Fazemos parte de um laço inquebrável e eterno. Deus quis assim e que seja feita a Vossa vontade.

Te desejo a mais linda e abençoada vida, te desejo todo o amor que poderes sentir e merecer, todo o carinho que poderes carregar no coração e todo o meu respeito e admiração por ser essa mulher que tu te transformou.

São poucas as palavras escritas, perto do que sinto por ti e perto do que que te desejo hoje e sempre. Esta é a minha homenagem pra ti, o meu amor e carinho escrito no Gavetas..

Das minhas melhores gavetas, tu sempre fizeste parte.

 

Leia Mais ►

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

O Amor que me Perdoe!

 lua aliança

O amor tem que ter ombros

O amor tem que ter coxas

Entrepernas e abraços pra aninhar

Beijos gulosos, lábios que te sugam

Há de se ter paciência para amar

O amor tem que ter riscos e risos

Tem que ter arrepios, lençóis amassados de tanto suar

Frio na barriga, língua escorregadia

Paixão, tesão e colo

O amor não pode descansar na conquista

Tem que ter sedução, tem que ter a mão pra bolinar

Expectativas pra encontrar, pra tocar, pra beijar

A boca que seduz e lambe, não pode insultar

Há de se ter elegância para amar

Gentilezas e delicadezas para encantar

O amor tem que ter presença

Olho no olho

Um boca a boca pra respirar

Tem que ter assunto ao pé da orelha

Da besteira ao drama, os dois na cama

Juntando palavras, salivas e odores

Corpos desalinhados, safados e cansados

Taquicardias e frios na barriga

Fazem a vida correr nas veias

Fazem valer cada respiro

Cada batida do coração

Cada segundo que te espero!

Leia Mais ►

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Explicação!

irem
Mó tempão que aqui não venho, né?! Pois então, culpa do tal de Facebook. Sim!
Explico.
A viciante rede social, faz com que eu me expresse em doses homeopáticas, diariamente e diuturnamente. Isso, me descarrega as emoções que antes, eu vinha aqui pra desafogar. Obviamente, uso palavras, frases e textos alheios pra me confortar. O que, de certa forma, não é legal pois deixo de usar as minhas.
Tentando mudar isso, resolvi vir aqui explicar a minha falta de inspiração e o abandono total do meu querido blog. Afinal, tenho alguns seguidores – três - que ainda me cobram palavras.
Segundo uma amiga especial, eu só escrevo quando estou sofrendo ou apaixonada. Pensei.. pensei, descobri que nenhuma das alternativas é correta, pois estou aqui né.. Isso, quer dizer que nem to sofrendo, nem to apaixonada! Milagre!!
Explico, de novo.
O ser pisciano adora uma sofridinha e uma nova paixão. O poeta, nem se fala. Agora, soma 2 + 2. Resultado: uma poeta-pisciana! Credo!
Não me pergunte que milagre é esse, nem eu sei explicar ainda. O que sei é que descobri que meu coração tá desocupado. E olha, o danado é carente pra mais de metro. Observei, que algumas pessoas ainda mexem comigo. Tipo: tá on line no face, eu me sinto observada e o pulsante, pulsa. Detalhe: algumas pessoas. Credo!²
Daí pensei, se o bobalhão tá pulsando por mais de uma pessoa.. ou ele é vagabundo ou não sabe o que quer. A primeira alternativa está correta, é vagabundo. Mas depois de tanto misturar as estações, ele se rendeu a segunda alternativa. Definido isso, chegamos a seguinte conclusão, o bobalhão e eu: estamos esperando a pessoa certa!
Confesso que não é fácil admitir isso, posto coisas no face que tem mais de um destinatário. Pecadora!
Mas a coisa não tá tão perdida assim. Me diagnostiquei, to sofrendo de desapego.
Mais uma vez, explico.
Se meu coração tá vagabundeando por tantas estações e não aporta em nenhuma, é porque a carência tá sendo substituída pela razão. Ou seja, estou usando mais o meu cérebro (artefato pouco utilizado pelos piscianos) do que o meu coração. Agora, não venha me perguntar o porquê disso estar acontecendo, eu não sei ainda. Só sei que to gostando, to aprendendo o desapego, to fazendo escolhas e a melhor delas é que, nesse momento, eu resolvi esperar pela pessoa certa.
Cansei de correr atrás de pessoas que, por orgulho ou medo, não se entregam a um relacionamento de verdade. Detesto joguinhos de amor e ciúmes, não sei jogar. Detesto, também, ter que pedir carinho ou atenção, isso tem que ser oferecido de coração, quando se quer uma pessoa. Cansei de tentar diálogos que, na verdade, são a base para uma relação saudável.
Que me perdoem as pessoas que um dia eu me envolvi, juro que amei cada uma delas, de formas diferentes. Mas, agora, quero e mereço a pessoa certa pro meu coração. Quero não ter que pedir carinho nem atenção. Quero conversar sem medo de melindrar, quero paixão e tesão, quero amar e ser amada por aquilo que sou, não pelo o que querem que eu seja. E olha.. sou do bem, sou do amor, sou da paz, sou madura e sou mulher!
E, não me julguem por isso! Apenas entendam..
Leia Mais ►

sábado, 13 de abril de 2013

Sobre escova de dente

Utensílio utilizado para nossa higiene bucal, escovar e limpar nossos dentes.

Ponto. Quando é a nossa!

E quando não é? Vai dizer que nunca teve outra escova de dente, que não a sua, no armário do banheiro? Duvido!

Eu bem que gosto de ter outra escova no meu armário, a minha não se sente tão sozinha. Fica feliz e sorridente..

Não foram muitas que compartilharam meu armário do banheiro, até porque esse gesto é de muita cumplicidade e confiança.

(não saio dizendo pra toda visita que entra na minha casa, sente-se e acomode sua escova de dente no meu armário...)

Não foram tantas, mas as que foram.. não foi por mero acaso. Foi entrega!

Aprendi, há anos, que devolver a escova de alguém depois de uma briga, é um ato cruel. É o veredicto final de que aquela relação acabou, é a devolução da cumplicidade e da confiança. Nunca mais fiz isso! Deixo a escova ali, até..

Já tive escovas ping pong, aquela que vai e volta, muda de marca e de cerdas, macias ou mais duras. Toda vez que terminava o relacionamento, eu a jogava fora. Passava um mês e eu substituía, a escova.

Já tive escova permanente, aquela que você não quer que seja substituída.

Mas foi.

Daí você passa a não ceder lugar pra qualquer outra escova, se nega, porque sabe da dor da perda de uma escova. Ela faz parte da tua vida, te faz companhia, te acarinha, te faz sentir acompanhada, sorri pra você toda vez que abre a porta do bendito armário.

E você dá o lugar no armário e no coração.

To comparando não.. é retórica. Mas é uma maneira singela de dizer que cedeu teu espaço, teu coração e que te desarmou perante àquele amor.

E agora, aquela escova que você evita encarar, ta ali te sorrindo.

E você não tem a menor idéia do que fazer com ela.

Ta ali abandonada, sem uso, ocupando um espaço enorme no armário..

E sem coragem pra se desfazer, você olha e conversa com ela sobre o seu dia e de como será sua insônia.
Leia Mais ►